Professora da Prefeitura do Rio se destaca no prêmio Educador Nota 10

17/07/2019 18:44:00


 "Lê comigo", trabalho voltado para despertar a paixão pela leitura em alunos do Ensino Fundamental, desenvolvido pela professora Ana Cláudia de Abreu Soares para alunos do 4º e 5º ano e que impactou a da Escola Municipal Dom João VI, em Higienópolis, transformando-a em uma unidade leitora, levou a docente idealizadora a um patamar de destaque no cenário nacional da Educação. Entre 4.876 trabalhos concorrentes de todo o Brasil, esta professora de Língua Portuguesa da Secretaria Municipal de Educação do Rio teve o projeto classificado entre os 50 melhores do ano do prêmio nacional Educador Nota 10 nesta edição 2019.

— Foi uma emoção muito grande receber a notícia de que eu estava no meio de tanta iniciativa incrível pela educação brasileira. E o que me moveu para acreditar na minha ideia e me inscrever foi perceber que a leitura sempre será importante na vida das pessoas e existe uma urgência para que essa juventude leia livros — acredita a professora.

Esta seleção vem consagrar o programa pedagógico da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, pois mais uma vez o trabalho dos professores da rede municipal carioca ganha destaque no prêmio Educador Nota 10. No ano passado, o professor de História José Marcos Couto Júnior foi escolhido o Educador do Ano, título concedido durante a premiação da 21ª edição, em outubro, na Sala São Paulo. Ele é autor do projeto "Caravanas", de descoberta do entorno da comunidade e com a questão de invisibilidade social, que implementou na Escola Municipal Átila Nunes, em Realengo. No projeto "Caravanas", a música de Chico Buarque foi usada para discutir a inserção do negro na sociedade brasileira e o combate à invisibilidade social. Com o trabalho, os alunos passaram a discutir seu papel na sociedade.

O trabalho de Ana Cláudia acabou abraçando toda a escola em que ela atua, trazendo até mesmo a comunidade para dentro deste espaço. A unidade, localizada na zona norte do Rio, atende a estudantes da Educação Infantil, Ensino Fundamental e também inclui alunos com deficiência que estudam em classe especial e classes regulares.

— Os livros são para todos. Por isso, fiquei emocionada ao ver o quanto os estudantes estavam lendo depois que o projeto emplacou. Como o Ziraldo, acredito na paixão pelo livro e não no hábito. Uma vez que você o ama, nunca mais esquece — disse a professora que desenvolve a ação desde 2012.

Após assumir a sala de leitura da escola há sete anos, em meio aos livros, a pedagoga decidiu propor formas criativas para estimular a paixão pelos livros por meio da leitura em diversas formas: autônoma, silenciosa, compartilhada, na contação de histórias e na interação com o cinema. Fora desse espaço, ela decidiu criar opções para que os estudantes entrassem em contato com a literatura. Em parceria com pais e com a comunidade escolar, Ana Cláudia adquiriu geladeiras com defeito que iriam para o lixo e conseguiu doações de um novo acervo para ampliar o seu projeto.

Na chamada "gibizeira", o eletrodoméstico foi embalado de quadrinhos da Turma da Mônica e tirinhas de jornal e, pouco tempo depois, ficou recheado de histórias que já foram lidas por centenas de estudantes no horário do recreio. Já no café literário, que fica em um dos corredores, a decoração feita pela docente em um antigo frigobar convida os estudantes para procurar novas aventuras e conhecimentos.

— O que me motivou a fazer essa ação toda foi que eu me questionava se os livros estavam mesmo sendo lidos e se, em casa, eles tinham um espaço para ler. Essa dinâmica me inquietava. Até que eu decidi criar, junto com toda a escola, esses espaços e mostrar que todo lugar pode estar não só em um ambiente, e eles podem, ao invés de ficar pensando em besteira, escolher um livro, se apaixonar e multiplicar as histórias pelo mundo.

Para a diretora da unidade, Izabel Cristina de Oliveira, a indicação da professora para o prêmio Educador Nota 10 foi uma notícia que trouxe muita alegria e reconhecimento profissional.

— A escola toda ficou muito feliz. Ela sempre fez muito pelos alunos, levando autores para a escola, promovendo o debate e também mostrando que o cinema e a literatura tem tudo a ver. A gente sempre incentivou que ela se inscrevesse porque notamos que esse trabalho de longa data incentivando a leitura em toda a escola daria frutos e precisava ser comunicado para mais pessoas.

Ana Cláudia também é escritora e, a partir da sua experiência trabalhando na Escola Municipal Dom João VI ela publicou em 2017 o livro infantil "No quintal da vovó Lídia".

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. Reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. O Prêmio tem o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef, e o patrocínio da Fundação Lemann e SOMOS Educação. Desde 2018, o Prêmio Educador Nota 10 é associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação.




56_INSTANCE_en5I 56_INSTANCE_en5I p_p_id_56_INSTANCE_en5I_


Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro - Rua Afonso Cavalcanti, 455 - Cidade Nova - 20211-110